Resenha de filme : A HOSPEDEIRA

a hospedeira cartazFilme que foi na onda de faturar com o sucesso de outros, mas que fracassou de maneira absurda. Quando se assiste, se entende o porque disso.

O filme começa com uma espécie de propaganda, mostrando que o mundo está despoluído, todos em paz, sem fome e sem miséria. Tudo ótimo, se não fosse pelo fato de que os humanos foram conquistados por alienígenas.

Aparecem os alienígenas recebendo um pequeno objeto metálico através de uma rede de raios luminosos.

Depois passamos para uma mulher, está sendo perseguida por um grupo. Esta mulher é uma das poucas ainda não dominadas pelos alienígenas. Ela tenta escapar, mas é cercada. Percebendo que seria capturada, ela decide se atirar por uma janela, atravessando um vidro e caindo de vários andares de altura, para a morte certa.

Acontece que ela, mesmo quebrando praticamente todos os ossos e destruindo órgãos, sobreviveu ,ficando a beira da morte. Os alienígenas a levaram para uma espécie de hospital e usando um spray, fizeram seu corpo regerar quase instantaneamente. Logo após vemos como é o domínio alienígena de um corpo: É realizado um corte na parte de trás do pescoço e um pequeno ser luminoso, retirado de dentro de um recipiente prateado, o mesmo que fora recebido pela rede de raios, é introduzido no corpo pelo corte que se regenera em segundos. Após isso, o alienígena passa a controlar o corpo humano hospedeiro. A única indicação visível de sua presença é uma luz que fica na iris dos olhos.

a hospedeira 01Somos a resistência humana

O alienígena que está no corpo da mulher é conhecido como Peregrina e ele passa a acessar as memórias de Melanie Stryder, a dona do corpo, e começa a auxiliar os alienígenas, porque Melanie pertence a um grupo de resistência humana a invasão alienígena.

O problema da alienígena Peregrina é que a consciência de Melanie ainda continuou existindo no corpo dela, fato que é incomum. Ela passou a discutir com o hospedeiro e tentar convencê-lo a não entregar a resistência.

Os outros alienígenas ficam sabendo de que Peregrina tem a consciência do corpo ainda ativa e decidem que iriam “reimplantar” Peregrina em outro corpo. A deixando ela presa em um quarto aguardando. Neste momento Melanie consegue convencê-la a fugir, passando a ser procurada pela alienígena chamada de Buscadora, que através de algumas informações recolhidas tenta identificar aonde Peregrina teria ido, contando que, com isso, consiga localizar a resistência humana.

O filme tentou se favorecer do sucesso da série Crepúsculo e faturar pesado apenas usando o nome da autora Stephanie Mayer, por ter sido a autora destes livros. Bem, não foi este o caso. O filme não rendeu nada próximo do que se esperava, na realidade deu um tremendo prejuízo. Provavelmente a produtora vai penar para conseguir recuperar pelo menos o valor investido.

Antes de começar a falar eu não li o livro e antes que me julguem por isso, digo que eu li um conto escrito pela Stephanie Mayer e por isso, conclui que não leria nenhum livro dela. Seu estilo de escrita não me agrada. Essa resenha não terá o livro como comparação.

AVISO : alguns possíveis spoilers abaixo.

Mas vamos ao filme propriamente dito, o mesmo não usa tantos efeitos especiais visíveis e não há muita coisa tecnologicamente avançada. Os alienígenas usam veículos daqui da terra e eles não usam armas, apenas uns sprays que são armazenados em recipientes com aparência metálica que lembra uma versão prateada do perfume one million. Aliás os alienígenas parecem gostar muito de coisas prateadas. O background dos alienígenas, que no argumento são chamados de “almas”, é muito fraco e aparece mais como fundo para o relacionamento dos personagens. O porem é que uma história cujo foco é o relacionamento dos personagens derrapa justamente neste ponto: Os personagens são terrivelmente incoerentes.

A consciência de Melanie, somente pode fazer uns movimentos bruscos e breves no seu corpo, pois quem o controla é a Peregrina, então resta a ela tentar convencer a Peregrina a fazer as coisas, já que ela mesma não pode fazê-las. Peregrina é convencida com basicamente umas poucas frases. Depois quando está fugindo em um carro, ela percebe que estava sendo conduzida na direção errada, então decide voltar. Melanie consegue fazer o carro capotar e depois de quase morrer no processo, ela simplesmente fala que tem um tio que mora ali perto e que deveriam ir para lá, sendo que Peregrina aceita instantaneamente. Nem é necessário pensar muito para ver que essa situação toda não faz o menor sentido, é tão incoerente que fica difícil de saber quem está querendo fazer exatamente o que.

a hospedeira 02Gostamos de coisas prateadas

Quando elas juntam-se aos humanos da resistência, a maioria do grupo decide que deveria matá-la pois já é um pessoa possuída pelo alienígena. Depois rola briga entre eles para matá-la. De uma hora para outra sem um motivo que o justifique, o cara que queria matá-la fica interessado na alienígena ( lembre bem que o corpo é de Melanie, sendo que só o comportamento indica que é a alienígena ), enquanto ela evita o antigo caso de Melanie, porque seria “uma traição” fazer qualquer coisa com ele, enquanto ele balança entre a raiva aos alienígenas e o amor a Melanie. Desculpa mais esfarrapada para um triangulo amoroso e um monte de momentos de indecisão da personagem principal é impossível.

Considerando que os alienígenas são pacíficos, não mentem e os humanos derrubaram facilmente todos os alienígenas que quiseram, fica difícil imaginar como é que eles conseguiram dominar alguma coisa e principalmente o porque os humanos não derrotaram com eles.

E nem vou comentar muito o processo de possessão dos alienígenas, porque nem precisa pensar cinco minutos para saber que com esse processo seria impossível que eles começassem uma invasão porque dependem justamente de alguém já anteriormente possuído para fazer o processo, o que significa um paradoxo.

a hospedeira 03Só falta a musica

Depois de tantos diálogos e situações incoerentes, restou o final do filme para o fechamento da história e ai que vemos qual é a motivação da principal adversária da resistência e concluímos que é uma situação que desmente uma pancalhada de coisas que acontecem na história e que soma-se ao rol dos personagens incoerentes.

Um filme que no final ficou sem atrativos: personagens ruins, história ruim, pouca e insipida ação, visual que não tem nada demais e nem o romance consegue salvar o conjunto. Depois de assistir eu rapidamente percebi o porque do fracasso de bilheteria.

Se o livro é assim, eu passo...

 

 

 

 

 

Leave your comments

Post comment as a guest

0

People in this conversation

  • Eu não cheguei a ler o livro, mas vi o primeiro filme da saga Crepúsculo, podem me zoar mas tenho que me defender, pois atendi a um pedido da minha esposa que queria ver. Eu já achava que não ia gostar logo de cara pois pelo trailer e fotos e afins já tinha sacado que seria algo em torno do romance entre a garota e o vampiro do colégio e particularmente não gosto de roteiros assim. Mas vai além, o filme tem várias incoerências, eu não imagino um ser que é imortal e parece ter mais de 50 anos frequentando o segundo grau pra sempre. Meu Deus! Imaginem só, todo ano aprender as mesmas matérias e pior, parecer ainda sim ter dificuldade nelas. Pois bem, nem a minha mulher gostou do filme por essas e outras coisas e eu graças a Deus fui poupado de aguentar mais isso.

    Algumas vezes tive discussões com colegas, pois acho que dá pra sacar quando um filme é ruim só pelo que é mostrado em seus trailers e campanhas de marketing. Alguns de meus amigos acham que isso e balela e puro preconceito, pode ate ser, mas eu tenho errado poucas vezes. Quando vi o cartaz do filme na matéria imediatamente veio aquela sensação que sempre tenho quando não vou gostar de um filme. E a resenha corroborou com isso.

    Eu não li nenhum livro da autora, mas quando um escritor faz sucesso com um estilo, que é o caso dela, então acho que dificilmente ela faria algo diferente de relações interpessoais adolescentes, principalmente porque ela gosta disso. Tudo o mais é pano de fundo e talvez assim como seus leitores ela não se importe muito com as incoerências que ocorram nesse pano de fundo já que está ali para só pra justificar o caso de amor entre os personagens principais. Isso também acontece com vários filmes de ação. Homem de Ferro 3 é um exemplo do que estou falando.

    O público desse tipo de filme não se importa muito com esse tipo de incoerência, acho que o problema do filme se deveu mais a erros no marketing, que não teve uma campanha tão boa quanto a de crepúsculo, e à falta de efeitos especiais e talvez mais cenas de ação.

    Uma coisa eu tiro disso, essa resenha me afastou mais parsecs de distância de ler algo da Stephanie Mayer.

    Like 0 Short URL:

Últimos Comentários

Guest - Romildo lima
Li e Recomendo. simplesmente Alexey rickmann nos mostra que temos grandes potencia na literatura Nac...
Mesmo no novo endereço, que você citou, a loja não existe mais. Conversando com o dono, ele disse qu...
Guest - Leonardo
Na verdade eles se mudaram para este endereço: 33 Avenida Treze de Maio 20031-007 Rio de Janeiro S...
Guest - Karla Lopez
Eu gostei o filme. Lembro dos seus papeis iniciais, em comparação com os seus filmes atuais, e vejo ...
Guest - Ogro
Fala, Chança!!!! Gostei do texto... Essa é uma das poucas estórias do Super que eu curto. Um grand...

Login